CPFL CORTA ENERGIA E VAI TER DE PAGAR 8 MIL DE DANOS MORAIS.

Após ter energia de prefeitura cortada, prefeito manda ligar um ‘gato’A CPFL (Conpanhia Piratininga de Força e Luz) cortou a energia do lavrador VSP. Foi na empresa de energia e descobriu que estavam lhe acusando de fraude no medidor de energia e que havia uma dívida de mais de quatro mil reais que deveria ser paga. Sem condições de pagar tal valor, procurou Dias Batista Advogados, informando que não havia feito nenhum "gato" na energia e que nunca adulteraria seu medidor. 

O advogado Claudio Dias Batista ingressou na Justiça com um pedido para religação imediata da energia. A liminar foi dada, a energia imediatamente religada e processo seguiu. A empresa se defendeu pedindo perícia no relógio e dizendo que apenas aplicou o cálculo que a lei estabelece.

a advogada comenta que cortaram a luz na propriedade do consumidor em sorocaba
Para a advogada Ana Paula Vasques Moreira que também atua em favor do consumidor, a perícia deveria ser feita antes da autuação e não na fase judicial. "A gente diz nos processos que a lei estabelece perícia para a autuação e não uma perícia depois que esta aconteceu". Apesar disto a juíza Ana Lucia Baldy da Segunda Vara Cível de Sorocaba entendeu que a perícia era indispensável. O laudo confirmou que não havia furto algum de energia. 

O processo foi julgado e a dívida foi considerada nula. Foi determinado ainda uma indenização de 8 mil reais para o consumidor, por ter sido injustamente acusado e cobrado. O advogado Claudio Dias Batista explica que a indenização é razoável e está estudando com seu cliente um eventual recurso para aumentar o valor. Da decisão ainda cabe recurso. O processo recebeu o número 0000302-52.2012.8.26.0602